sábado, 15 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012


Índia, levarei saudade
Da felicidade que você me deu.

Sabe, esse foi um daqueles anos que com certeza, eu vou amar esquecer, ou pelo menos eu quero que tudo o que eu passei nele, se trasforme em lembrança mais remota, menos doída, porque se a vida é feita de altos e baixos, com certeza esse ano faz parte destes e não daqueles. Eu moro praticamente só, longe da família, da maioria dos meus amigos e sou feliz assim, sendo só, mas tendo sempre a presença dos amigos através de longos telefonemas e conversas de bate-papo. Eu sempre gostei dessa minha capacidade de me desligar do mundo e viver desse jeito, gostar de ser assim, porém esse ano eu vi que não dá pra viver de tal modo a vida toda, ninguém é uma ilha, a gente precisa de afetos e eu aprendi isso de maneira bem difícil . No começo do ano, teve micareta aqui na cidade que eu moro e minha mãe toda cautelosa, pediu pra que eu fosse pra minha cidade, ficar um período com a família, já que eu os via tão pouco apesar da distância não ser assim tão grande. Eu fui, mas fiquei emburrada durante toda a semana, fui quase arrastada até a casa de minha avó, ela por sua vez,me contou dos seus  planos, que era louca pra eu me formar logo, pra poder viajar muito com ela por aí, e me disse que se Deus quiser, iria dar tudo certo e Deus iria dar essa chance a ela, de ver os netos dela se formando, e depois de dito isso, me deu uma revistinha bíblica, que eu não mostrei tanto interesse e me deu um abraço, disse que amaria que eu continuasse indo na Igreja, porque soube que eu tinha ido algumas semanas atrás,dei a bença costumerei entrei no carro e fui embora pra minha casa, mas minha vontade mesmo, era estar lá na micareta . Eis que eu volto pra cidade que eu estudo e fico sabendo que minha vó teve AVC, e eu não me importei tanto, porque ela sempre se saia bem de tudo, sempre. Mas chega um dia que as pessoas realmente tem que ir e 29 de Agosto, foi um desses dias. Vi minha vó pela última vez, naquele final de semana que eu gostaria de estar numa merda de uma micareta. Até hoje eu choro, todos os dias eu lembro dela e sinceramente, eu nunca imaginei que eu amasse tanto ela, até perceber que todo domingo, jamais serão os mesmos, aonde quer que eu esteja, o domingo é dela. Nesse ano, eu perdi muitas coisas importantes, mas aprendi quais são as prioridades da vida e minha vontade agora, é estar lá com minha família, com meus amigos e certamente eu nunca mais vou pensar em trocar nada por eles. Os Beatles podem ressussitar só pra fazer um show aqui, mas eu vou ter um destino certo, certamente ao lado de quem eu amo e de quem me ama também. Porque como eu disse, apesar dessa minha tentativa de ser só, tentar viver só, eu felizmente não sou. As pessoas que amo, apesar do meu estado, nunca desistem de mim,ainda que um dia eu não tenha dado a devida importância. Meu pai me liga incansavelmente todos os dias, minha mãe me liga com menos frequência pra não me perturbar, minhas amigas me ligam sempre que tem algo pra contar, seja coisa boa, seja coisa ruim. Eu não sou só, eu nunca fui só. Eu sempre estarei com eles e com ela, aonde quer que eu esteja. Meu ano, foi o mais complicado até agora, mas eu venho aprendido a ser forte ou pelo menos aparentar isso , finjo, finjo até que acredito pelo menos por hora.Mas cada dia que passa eu me sinto mais fraca, longe da matriz geradora de força, que é minha família e meus amigos que com certeza, são uma parte da família que eu escolhi ter pra o resto da minha vida. Eu vou me formar quase que em breve vó e você vai estar comigo sempre sempre e sempre, pode acreditar, porque eu não esqueço de você jamais, tá aqui, comigo.Obrigada pela vida difícil meu Deus, eu sei hoje o quanto a dureza das coisas, é capaz de mostrar a devida importância de tudo. Obrigada pela vida e pelas pessoas que colocou em meu caminho.


Ótimo 2013 e prioridades assertivas, para todos.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

O Diário de Anne Frank

Tenho uma grande loucura por filmes antigos e o Diário de Anne Frank de George Stevens, não só o filme como o livro sempre foram assuntos muito recorrentes nos blogs, principalmente os de cinéfilos aos quais eu estou sempre visitando ,fato este, que fomentava ainda mais minha vontade de saber um pouco mais da história dessa garota. O filme é em preto e branco e legendado, pelo menos a versão que eu assisti era, e eu amei, dá um toque mais bucólico ao filme. O filme trata de duas famílias judias durante o holocausto, que são colocadas em um porão, para fugir dos constantes ataques nazistas. Eles ficam dois anos nesse esconderijo, a comida é escassa, as brigas são constantes e os sonhos são grandes, eles almejam sair dali,  almejam ter novamente a liberdade que lhes foi tomada e em meio a este caos, se destaca a figura de Anne Frank, que é uma garota de 13 anos,muito inocente, mas nada boba, que tem pela escrita uma grande afeição. A menina  não tinha com quem conversar , então ela se entretinha com o diário. E é a partir desse diário, que a trama ganha corpo, ganha substância, porque ali estão não somente as tolices de uma menina de 13 anos, ali estava um verdadeiro documento de registro do que acontecia na guerra, mostra também a descoberta do amor em meio a uma situação extremamente conturbadora, mostra uma menina que sabia ser feliz mesmo em meio as preocupações, estava sempre dançando, escrevendo, sonhando com o dia que sairia dali. O que eu mais acho incrível nesse tipo de filme, é o tempo, é muito menos apressado, as feições são muito mais singelas, a celeridade é menor, os detalhes são mais trabalhados, ao contrário dos filmes atuais que precisam sempre recorrer a cenas mirabolantes para chamarem a atenção, um filme como esse nos ganha pela delicadeza das ações e pela simplicidade . Anne certamente foi uma menina feliz e que soube tirar proveito da vida, apesar de ter sido injustamente tão curta. Assistam o filme, ele é disponibilizado na internet, é um clássico e é sem dúvida uma lição de vida.

Coisas deleitáveis

Cheiro de café fresco, coca-cola de garrafa, ser jovem, pai, morar longe de casa, aula de literatura e os devaneios dela, ver o sol se pôr, filme de Marilyn, paçoca, cheiro de coisa nova, a canela de Marcelo Camelo, conversar durante uma aula chata, amigos, comer uma panela de brigadeiro sozinha, começo de namoro, anos 60, biscoito com leite, lua cheia, sorriso bonito, arrumar o quarto quando se tem prova pra estudar,Elvis cantando Love me tender, ganhar músicas, bolo de aipim, desfazer de coisa velha, roupa com cheirinho de amaciante, mãos bonitas, independência, pipoca doce, comida japonesa, dar sorriso pra uma criança e ela retribuir, conselhos de quem gosta da gente,apertar a mãozinha de bebê, Manoel de Barros, ver similaridades entre os passantes e as pessoas que você conhece, gente de riso fácil, dormir cansado, achar dinheiro na rua, tirar os sapatos no fim da festa, irmão, vento no rosto, cheiro de terra molhada, energético, acordar tarde e descobrir que é fim de semana, trocar nome de coisas e pessoas por códigos, nevada, iogurte com granola, dormir no frio, amor platônico, quarto de hotel, rede, show de Los Hermanos, reciprocidade, lembranças, panetone de frutas secas, chocolate na tpm, rir até chorar,início de semestre, unhas vermelhas, Breakfast at Tiffany's, viajar sem destino e sem conhecer ninguém, pessoas educadas, ler um livro bem devagarinho pra ele não acabar tão cedo, pessoas que sabem tocar violão, sombra, bolo de cenoura, filme legendado, fé, mãe, açaí, dançar forró, caderno novo, ver as pessoas na rua e imaginar seus possíveis nomes, pão de alho, viajar de carro, de barco, de avião,declarações, dia nublado, chá gelado e fazer lista de tudo, inclusive das coisas deleitáveis.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Amado, Jorge.


Tive poucas oportunidades de sair e me aprofundar na cultura baiana, a nossa geração, é em alguns aspectos  distante de sua própria realidade, não se despertam a compreender nossa gênese, nossa história e eu como estudante de Letras, de Direito e como baiana tive o prazer de conhecer um pouquinho mais de Jorge Amado, das suas obras, seu sincretismo religioso, sua vida, sua família,  a formidável Zélia Gattai, a casa que ele escolheu para serem guardadas suas memórias, suas devoções, seus títulos, sua grandeza intelectual, seu partidarismo, suas predileções; eu estou realmente apaixonada e se tivesse feito este itinerário antes, provavelmente teria me apaixonado antes pelo meu curso de Letras e confesso que esse amor e essa devoção a qual  dedico agora às artes e à criaturas tão ricas como Jorge Amado,embora tardio, veio em boa hora e  realmente me surpreendeu, me mudou. Através da visita à Fundação Casa Jorge Amado e ao museu de arte moderna, eu me inspirei a reescrever minha vida, não que ela estivesse sendo mal escrita, mas acho que o caminho dela ficou agora mais florido, tem mais adornos xilograficos, mais cores, mais culto às diferenças .Jorge Amado conjuntamente a outros foi capaz de me fazer repensar nas ideologias de vida atuais, tão distantes das suas, me fez rever valores, me fez sentir mais da terra, me fez amar mais aqueles que fazem parte da minha história, fui levada a pesquisar mais à cerca do povo brasileiro, fui repensar nossa cultura, nosso modus vivendi e eu só tenho a agradecer  por ser da mesma terra que Jorge Amado, por  fazer parte daquilo que um dia lhe inspirou, pela riqueza da nossa cultura . Minha cabeça não para quieta, sou levada a diversos caminhos rapidamente, enrubesço só de pensar na sua vida,no quão conturbada e fervorosa era  sua mente  e me atrevo a querer fazer da minha vida um palco de descobertas, de recordações boas. Acho que Jorge me fez ter ainda mais vontade de viver, de escrever, de ser. Não tenho grandes pretensões ,ou talvez timidamente até as tenha, mas não quero ser grande se tiver que deixar de ser eu mesma, minha real vontade é me despir de muitas das minhas vaidades e viver intensamente, ter uma vida agraciada por boas histórias, por boas pessoas, por almas que se adornam, se involucram e se entregam pra mim sem medo. Não quero ser disfuncional, não quero emergir do que já vem pronto, dito e embalado, quero a capacidade criativa e inventiva de Jorge, quero o amor incondicional de Zélia pela vida, conforme mostram seus registros e fotografias, quero VIVER muito, quero ser grande como a Baía de todos os santos. Quero rememorar cada pedacinho de mim .Quero letras sinestésicas  que dizem, que tem cheiro, cor, que povoem minha vida, minha alma e que modifiquem a mim e as demais pessoas. E penso agora : Sou completamente diferente do que queria ser, que bom ! Amo outras coisas, tenho afeição por outro tipo de gente, não faço questão de muita coisa, mas as poucas que faço devem ser revestidas de paixão. E paixão agora não me falta. Talvez eu deva uma explicação pra isto que foi dito, talvez não, pois como diz o próprio Jorge Amado : " Uma história não se explica, se conta".Homem formidável , vida formidável. Quero mais Jorge em minha vida.


Durmam com os anjos, tenham uma noite tranquila e vidas perturbadoramente maravilhosas .
Beijos.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Breve desabafo

Existem coisas lindas que são altamente funcionais. Mas há que se desconfiar de muita coisa nessa blogosfera ,porque a maioria é facilmente tragada pelas novas idologias, com fundamento no consumismo desenfreado . Sempre achei um erro você ter que seguir determinada regra pra se enquadrar em determinada classe social  ou pra se sentir mais seguro usando tal roupa ou tal marca caríssima. Acho ótimo quando uma coisa me oferece mais conforto, quando eu me sinto mais bonita usando determinada roupa ou acessório, mas por favor ...Não me façam achar bonito unha caviar, saia mullet, sneacker e adjacências porque eu não vou achar e nem vou procurar no google como se escreve nada disso, porque a maioria não são termos brasileiros, logo, não sou obrigada a saber mesmo ! Não tô querendo fazer a linha do Shame on you  , que por sinal eu amo! E nem quero ser hipócrita a ponto de renegar algumas maravilhas do mundo moderno, como cosméticos, maquiagens, roupas incríveis . Eu só queria que as pessoas fossem mais autênticas, mais por elas do que pelos outros . Não é porque uma It girl usa tal roupa, que essa roupa é bonita. Na maioria das vezes o que ela quer é vender a peça, quer lhe fazer acreditar que aquilo é algo maravilhosamente indispensável na sua vida e que depois de ter aquilo você será muito mais feliz . A gente recebe muita informação e filtra muito pouco . Amo moda, mas as vezes eu odeio a forma como ela é tratada . Você não precisa de muito dinheiro, muitas peças, muita maquiagem...você precisa é de personalidade . Então dito isto, eu espero sim postar muita coisa ainda no blog sem me sentir culpada por estar influenciando esse consumismo louco e bobo e queria muito ter leitoras que soubessem o que fazer com estas informações, se eu digo que eu amo, é porque EU amo, você tem sua própria opnião e pode gostar ou não. E eu ficarei bem feliz pelas críticas relevantes, de verdade . É difícil pra caramba ganhar ddinheiro, então na boa ... ame muito muito algo, depois compre . E sim, se você tem dinheiro seja fútil, ser fútil é ótimo, mas não seja burra . Gaste bem  com algo que você realmente goste. É isso :Vamos ser mulherzinhas, bonitinhas, cheirosas, lindas e phynas mas nunca,otárias  .

"MODA É OFERTAESTILO É ESCOLHA."  

domingo, 10 de junho de 2012


Meu tesourinho perdido!
Que tal voltarmos as boas? 
Numa versão menos piegas tá, nem tanto!
hahaha 
SAUDADE!
Em letras garrafais mesmo ...
Do blog e principalmente de mim !
 
Vou tentar escrever coisas que dois meses depois não me matem de vergonha #ohyes . Sou mulherzinha, amo uns badulaques, maquiagem, comprar ! Mas tudo dentro dos limites do bom senso e do cartão de crédito hahaha. É isso amores, um blog de verdade, pra gente de verdade, sem mimimi, sem consumismo fútil. Com mulher que ama ser mulher, se enperequetar, se arrumar e ficar phyna ! 


Passei só pra dar essa nota de esclarecimento, até breve !

Super beijo minhas riquezas ! 



quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Ágape !

Pensar enloquece, pense nisso .

Be Happy !



As vezes as coisas são simplesmente o que são ... sem entrelinhas, sem subentendimento, teoria da conspiração, subjetividade . Mas tá cada vez mais difícil aceitar essa simplicidade das coisas, é aí que a alma pede descanso , pede pra esquecer um pouco as reflexões constantes para descobrir que por mais que tentemos evoluir através da experiência, bom mesmo é ver tudo como se fosse a primeira vez, com os olhos de uma criança curiosa, que se surpreende com tudo que há de novo, e tem como único desejo pra o futuro...um doce ou um brinquedo novo ... E é querendo não pensar tanto, que eu penso no quão bom é não pensar, ter enfim, uma alma levinha, levinha .

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Sobre as coisas simples ...


Fofinha essa música né ? 
Sem muitos artifícios, sem meias palavras ou neologismos ... como um amor puro . 
Simples e encantadoramente, lindo !
Não canso de ouvir .
Presleyzinho nindo <3